Header image

Proibição de Site

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado domingo, 24 de setembro de 2017 Marcadores: , 0 comentários

O Ministério do Interior da Alemanha ordenou o fechamento de um site de extrema esquerda cujos textos faziam apologia ao crime. Segundo reportagem da revista Der Spiegel, no site linksunten.indymedia.org, agora fora do ar, era possível ler frases como esta: “Convocamos à realização de sabotagem de todos os tipos de equipamentos militares e de toda a produção para militares.”

Alguns frequentadores do site também admitiam, em postagens, ter cometido crimes como incendiar carros de polícia, depredar agências bancárias e espancar neonazistas. A polícia alemã fez buscas em quatro apartamentos, dois carros e um centro cultural autônomo na cidade de Freiburg, no sul do país.

A advogada de um dos responsáveis pelo site disse que a ação era uma violação dos direitos do seu cliente, e uma violação das liberdades de imprensa e de expressão. A organização Repórteres sem Fronteiras também considerou a medida um ataque à liberdade de imprensa.

O governo alemão já proibiu, no ano passado, um site de neonazista por motivos semelhantes. Na Alemanha, as leis proíbem a propaganda e os símbolos nazistas.

O histórico de violência de extrema direita no país é conhecido, mas a extrema esquerda também já fez das suas. Nas décadas de 70 e 80, grupos terroristas de esquerda como a Fração do Exército Vermelho realizaram sequestros, assaltos a banco, assassinatos e atentados a bomba. 

Em julho deste ano, grupos radicais de esquerda realizaram protestos violentos em Hamburgo, durante um encontro do G20, reunião dos 20 países mais ricos do mundo.

A decisão está sendo criticada porque os textos que mais incitam à violência no site foram escritos por frequentadores do site, e não por sua equipe. Se esse critério fosse usado no Brasil, vários sites dirigidos aos públicos radicais de esquerda e direita teriam de ser fechados.

(Fonte: Der Speigel)

Museus e Memória

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado domingo, 10 de setembro de 2017 Marcadores: , , 0 comentários

“Museus e suas memórias” é tema Nacional da 11ª Primavera dos Museus. Evento em Nova Petrópolis, RS, contará com exposição da história do Museu e do Arquivo Histórico Municipal, de 18 a 30 de setembro.

Nova Petrópolis irá exibir a história do Museu Histórico Municipal e do Arquivo Histórico Municipal de 18 a 30 de setembro. A exposição é a principal atração da 11ª Primavera dos Museus que, em 2017, é baseada no tema Nacional “Museus e suas memórias”. Visite o museu, registre e compartilhe nas redes sociais utilizando a hashtag #primaveramuseus2017.

“O tema da 11ª edição do evento foi sugerido pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM) para que as instituições museológicas resgatem e conheçam suas histórias e compartilhem com o público. Em Nova Petrópolis, vamos contar a história do museu e do arquivo, as ações desenvolvidas e os colaboradores, desde a fundação do prédio até os dias atuais”, explica a diretora do Núcleo do Museu Histórico Municipal de Nova Petrópolis, Rejane Scheid.

Originalmente o prédio que hoje abriga o Museu foi construído em meados de 1870 ao lado da atual Rua Coberta e, inicialmente, era a casa do médico, Carl Wissmann. O prédio foi reconstruído no Parque Aldeia do Imigrante em 1990 e inaugurado como Museu Histórico Municipal em julho de 2002. O prédio do Arquivo Histórico Municipal, localizado na atual Biblioteca Pública Municipal Profª. Elsa Hofstätter da Silva, foi fundado em 1936 como um colégio evangélico, depois se tornou um hospital e hoje é sede do Departamento Municipal de Cultura e da biblioteca.

O Museu Histórico Municipal está aberto diariamente, das 8h às 17h, e está localizado na Aldeia Histórica dentro do Parque Aldeia do Imigrante e o Arquivo Histórico Municipal está aberto de segunda a sexta-feira, das 13h30min às 17h, e quarta e sexta-feira, das 7h30min às 12h. O ingresso no Parque Aldeia do Imigrante custa R$ 5,00. Crianças até seis anos e munícipes estão isentos; estudantes, crianças de sete a 11 anos e idosos pagam meia entrada, com comprovante. A visitação do arquivo e a entrada no museu são francas. Mais informações pelo fone (54) 3281-1222 ou 3281-4064.

As atividades alusivas a 11ª Primavera dos Museus são promovidas pela Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Desporto, por meio do Departamento de Cultura. A exposição do evento ocorre em parceria entre o Museu Histórico Municipal e o Arquivo Histórico Municipal.

(Fonte: Kassandra Bertóglio Dorneles | Marcelo Moura | Adriana Monteiro Arrial)

Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Nova Petrópolis - RS
Jardim da Serra Gaúcha | Capital Nacional do Cooperativismo
(54) 3281 8412 | (54) 3281 8410 | (54) 996 920 563 | (54) 999 433 225

Site: www.novapetropolis.rs.gov.br | Facebook: @novapetropolisrs

Bomba em Frankfurt

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado domingo, 3 de setembro de 2017 Marcadores: , 0 comentários

A polícia da Alemanha está evacuando uma parte da cidade de Frankfurt após uma bomba da Segunda Guerra Mundial ter sido encontrada durante as escavações de uma construção. Esta é a maior evacuação já feita por causa de explosivos desde a guerra.

Mais de 60 mil residentes estão sendo retirados de uma parte nobre da cidade — onde fica, inclusive, a sede do Bundesbank — para que as autoridades se preparem para retirar a bomba, processo que deve ser feito neste domingo. A bomba foi encontrada numa construção perto da universidade de Goethe, no início da semana.

O chefe do departamento de incêndio de Frankfurt, Reinhard Ries , disse na sexta-feira que as autoridades acreditam que se trata de uma bomba HC 4000, o tipo de explosivo usado pela força aérea britânica na região durante a guerra — elas também são conhecidas como bombas “blockbuster”.

Diante da enorme quantidade de bombas que foram enviadas para a Alemanha durante a guerra contra o regime nazista de Adolf Hitler, a descoberta de munições ainda não detonadas não é algo fora do normal. Entretanto, o tamanho desta bomba deixou autoridades preocupadas. Caso ela seja ativada, isso poderia destruir um quarteirão inteiro da cidade e danificar uma área muito maior.

“Essa bomba tem mais de 1,4 toneladas de explosivos”, disse Ries. “Não são apenas os fragmentos que representam problema, mas toda a pressão que ela libera e que pode derrubar prédios em um raio de 100 metros.”

(Fonte: Folha e Estadão Conteúdo)