Header image

Feliz Natal!

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado sexta-feira, 23 de dezembro de 2016 Marcadores: 0 comentários

De repente num momento fugaz,
os fogos de artifício anunciam
que o ano novo está presente
e o ano velho ficou para trás.

De repente, num instante fugaz,
as taças se cruzam
e o champanhe borbulhante anuncia que o ano velho se foi e o ano novo chegou.

De repente, os olhos se cruzam,
as mãos se entrelaçam
e os seres humanos,
num abraço caloroso,
num só pensamento,
exprimem um só desejo
e uma só aspiração:
PAZ e AMOR.

De repente, não importa a nação;
não importa a língua,
não importa a cor,
não importa a origem,
porque sendo humanos e descendentes de um só Pai,
lembramo-nos apenas de um só verbo: AMOR.

De repente, sem mágoa, sem rancor, sem ódio,
cantamos uma só canção,
um só hino:
o da LIBERDADE.

De repente, esquecemos e lembramos do futuro venturoso,
e de como é bom VIVER.

Feliz Natal e um excelente 2017 para todos!

Dinossauro do Ano

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado domingo, 11 de dezembro de 2016 Marcadores: , 0 comentários

A organização ambientalista alemã Nabu concedeu nesta quarta-feira (28/12) ao presidente da Bayer, Werner Baumann, o desonroso prêmio Dinossauro do Ano 2016, dedicado a personalidades cujas atividades, na visão da ONG, são antiquadas em termos ambientais.

Em setembro, a Bayer anunciou a compra da empresa agroquímica americana Monsanto por 66 bilhões de dólares, "apesar dos protestos de ambientalistas e consumidores em todo o mundo que desejam uma agricultura livre de produtos tóxicos e tecnologias genéticas", afirmou o presidente da Nabu, Olaf Tschimpke.

A organização afirmou temer que o acúmulo de poder no mercado de sementes e pesticidas possa solidificar o predomínio da agricultura industrial, resultando em prejuízos à biodiversidade.

Segundo a Nabu, o modelo de negócios da Bayer-Monsanto se beneficia da agricultura industrial, com base em estruturas de subsídios mantidas artificialmente com recursos públicos. "Ao agir dessa forma, [a empresa] contribui para manter esses sistemas, que trazem consequências nefastas para os seres humanos e a natureza", afirmou a Nabu.

Em meados de dezembro, os acionistas da Monsanto votaram a favor da aquisição por parte da Bayer, a maior já feita por uma empresa alemã. O acordo ainda requer aprovação de autoridades em várias partes do mundo. Espera-se que o processo seja concluído no final de 2017.

Em outubro, Baumann havia dito que a Bayer não pretende introduzir sementes geneticamente modificadas no mercado europeu, ressaltando que a empresa aceita o fato de a sociedade rechaçar sementes transgênicas e não vai tentar impor algo diferente.

Ele se distanciou dos métodos usados pela Monsanto, afirmando que, na tentativa de introduzir plantas geneticamente modificadas na Europa, o tiro saiu pela culatra. "Nós, da Bayer, adotamos uma abordagem de parceria para lidar com nossos clientes e todos os grupos sociais", afirmou Baumann.

O Dinossauro do Ano é concedido desde 1993. Os "agraciados" recebem uma estatueta de metal com a escultura de um dinossauro.

(Fonte: RC/epd/dpa)

Tradições de Fim de Ano

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado domingo, 4 de dezembro de 2016 Marcadores: , , , 0 comentários

Além de "Frohes neues Jahr" (Feliz Ano Novo), os alemães também desejam "Guten Rutsch": literalmente, "Boa escorregada". Alguns filólogos, no entanto, remetem "Rutsch" ao iídiche "Rosch", de Rosh Hashanah, o ano novo judaico. Outros argumentam que a origem seria o alemão antigo, em que a palavra significava "viagem".

Alguns podem achar bobagem, mas pequenos amuletos fazem parte do Ano Novo para muita gente. Por isso, familiares, vizinhos e amigos se presenteiam com trevos de quatro folhas enfeitados com pequenos limpadores de chaminé, ou ainda porquinhos, joaninhas ou cogumelos de marzipã. Todos representam um novo ano cheio de alegria e felicidade. Moedas de um centavo também são um amuleto de sorte.

Numa típica festa de réveillon na Alemanha não pode faltar o bowle, um tipo de ponche frio servido numa grande bacia de vidro, "bowl", em inglês. Entre as inúmeras receitas para a bebida, há tanto versões alcoólicas quanto sem álcool. 

Em festas de fim de ano costumam ser servidos canapés. Mas há também quem prefira saborear à mesa os pratos típicos de réveillon, como fondue ou raclete (foto), horas a fio, em ambiente descontraído.

Já os romanos se divertiam tentando adivinhar o futuro nas formas que se criam quando metal derretido cai na água. Na Alemanha, esta tradição existe há décadas. Tradicionalmente, usava-se chumbo, mas como esse metal é tóxico, hoje se dá preferência ao estanho ou mesmo à cera.

Outra tradição é assistir na TV à comédia britânica "Dinner for one", que desde 1963 faz parte da rotina de fim de ano de muitos alemães. No sketch de 18 minutos, a nonagenária Miss Sophie janta com velhos amigos. Mas, como eles já morreram, James, o mordomo, tem que representá-los, bebendo todos os brindes feitos pela patroa. Depois de trapalhadas de bêbado crescentes, o final traz uma surpresa.

Também este ano, a chefe de governo Angela Merkel terá seu discurso de Ano Novo transmitido pela TV em horário nobre, numa tradição mantida desde 1952. Em 1986 ocorreu uma pane: o pronunciamento de Helmut Kohl do ano anterior foi repetido. Só no dia seguinte transmitiu-se a mensagem de Ano Novo certa.

Nos últimos dez segundos do ano velho, é feita a contagem regressiva para a meia-noite. Em seguida, trocam-se abraços e desejos de "Frohes Neues!". A essa altura, muitos já estão na rua, e o brinde com sekt, o vinho espumante alemão, é feito assistindo-se aos fogos de artifício.

A abertura das garrafas de sekt ou champanha não faz tanto barulho quanto os fogos, mas faz parte da festa. Na Alemanha existe até um brinde especial para esta ocasião: "Prosit Neujahr". A palavra "prosit" vem do latim, correspondendo a "Saúde!".