Header image

Oktoberfest de Vilhena

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado domingo, 28 de agosto de 2016 Marcadores: , , , 0 comentários

Começou sábado, dia 27, a venda de ingressos para a primeira edição da Oktoberfest de Vilhena, que irá acontecer no dia 29 de outubro no Parque de Exposições. Os ingressos serão vendidos no quiosque oficial da Oktoberfest, localizado no Parque Shopping Vilhena e, segundo os organizadores da festa, no primeiro lote serão disponibilizados 500 bilhete pelo valor de R$ 30,00.

O quiosque ficará no Park Shopping até o dia do evento e, inicialmente, apenas os ingressos serão vendidos, mas a equipe do “Sem Meias Palavras”, responsável pela organização e execução da festa, informa que foram encomendados artigos da cultura alemã (canecas, chapéus, tiaras, suspensórios etc), que também serão vendidos durante o evento.

Em Vilhena, a festa terá uma duração de 12 horas, tendo seu início às 17h do dia 29 de outubro e encerramento às 5h da manhã do dia 30. Ainda de acordo com os responsáveis, o objetivo de trazer para a cidade a Oktoberfest, que é considerada a maior festa de tradição germânica realizada no Brasil, é resgatar e fortalecer a cultura alemã no Cone Sul.

Para isso, todos os detalhes estão sendo pensados. A decoração será inspirada na arquitetura alemã e a música ficará por conta da Banda do Barril, que é conhecida nacionalmente e virá diretamente da maior Oktoberfest das Américas, realizada em Blumenau, Santa Catarina. Não faltarão chopes em várias opções, e cervejas artesanais, além de um cardápio com comidas típicas da Alemanha.

Para os que pretendem levar crianças, haverá um espaço dedicado aos pequenos e quem tem até 10 anos não paga entrada. O Sem Meias Palavras está pensado em tudo para fazer a Oktoberfest agitar as ruas do Parque de Exposições de Vilhena.

Feira de Cucas em Santa Cruz

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado segunda-feira, 22 de agosto de 2016 Marcadores: , , , 0 comentários

Feira das Cucas é novidade na 32ª Oktoberfest em Santa Cruz do Sul, RS. Com o tema Saberes e Sabores da Tradição Alemã, a programação da 32ª Oktoberfest e Feirasul 2016, que ocorrem de 5 a 16 de outubro, em Santa Cruz do Sul, reserva aos visitantes diversas novidades.

Uma das mais saborosas, certamente, está relacionada à gastronomia: a Feira das Cucas. Trata-se de um novo espaço, especialmente montado próximo à Vila Típica, que vai abrigar até 20 empresas para comercialização das tradicionais cucas santa-cruzenses junto aos visitantes da maior festa alemã do Rio Grande do Sul.

De acordo com o presidente da 32ª Oktoberfest, Adilson Schuenke, a Feira das Cucas busca valorizar este importante produto local, bem como destacar o tema do evento deste ano. “Nossas cucas saborosas, que são referência da nossa cidade, vão estar ainda mais evidenciadas, valorizando esta importante iguaria da nossa gastronomia típica”, completa Schuenke. A localização do espaço, próximo à Vila Típica e à Bierhaus, que nesta edição deverá abrigar o Café Colonial, também busca valorizar o produto, que será produzido diariamente.

As empresas interessadas em participar da Feira das Cucas podem entrar em contato com a Associação de Entidades Empresariais de Santa Cruz do Sul (Assemp), na rua Guilherme Hackbart, 109, ou pelo e-mail alice@assempscs.com.br, de 29 de agosto a 2 de setembro, em horário comercial. Para se habilitar a um dos pontos, os interessados devem possuir empresa legalmente constituída para a função, bem como estar de acordo com os critérios estabelecidos pela organização do evento. Mais informações podem ser obtidas pelo fone (51) 3715-6844.

Raízes Alemãs no Espírito Santo

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado domingo, 14 de agosto de 2016 Marcadores: 0 comentários

O livro "Raízes da Imigração Alemã: história e cultura alemã no Estado do Espírito Santo", de Helmar Rölke, será lançado pelo Arquivo Público do Estado (APEES), nesta terça-feira (30), no Palácio Anchieta, às 19h, fechando a programação “Agosto da Cultura”, da Secult. A publicação faz parte da linha editorial Coleção Canaã do APEES, volume 23. A obra traz o resgate da memória da imigração alemã em terras capixabas e referências para o entendimento da cultura dos germânicos que colonizaram o Estado, especialmente os pomeranos, que formam o maior grupo entre os imigrantes das diversas províncias do antigo Império Alemão que entraram no Espírito Santo.

Helmar Rölke explica que o seu objetivo foi permitir aos descendentes o acesso às informações sobre suas famílias e fornecer dados para subsidiar novas pesquisas e estudos. Para isso, aborda questões centrais das histórias alemã, brasileira e do Espírito Santo - situando o leitor sobre as realidades da "pátria expulsora" e o país receptor dos imigrantes - e o papel da Igreja Luterana nos percursos da imigração, buscando aspectos antropológicos, históricos e teológicos que moldaram os capixabas de origem alemã. 

O diretor geral do Apees, Cilmar Franceschetto, prefaciador da obra, destaca que o convívio diário do autor, enquanto pastor luterano, com filhos, netos e bisnetos dos imigrantes alemães, e a experiência herdada dos seus antepassados, principalmente do seu pai, o imigrante Hermann Rölke, garantem a Helmar um vasto grau de conhecimento sobre o tema. "Seu domínio da língua, tanto da pomerana quanto da alemã, o coloca como intelectual privilegiado para a realização desse estudo, tendo em conta as possibilidades da compreensão dos relatos da tradição oral, bem como da oportunidade de consultar uma vasta bibliografia em língua alemã, ainda inédita em nosso vernáculo", afirma.

Cilmar ressalta ainda que a preocupação do autor vai além dos adventos históricos, promovendo uma aproximação com o cotidiano da época e perpassando a esfera afetiva. "Os relatos legados pelos imigrantes em cartas enviadas aos parentes na Alemanha ou depoimentos da época, a exemplo dos escritos dos colonos Joachim Holz, Friedrich August Höhne e de Martha Zumach, que chegaram ao Espírito Santo em 1858, 1867 e 1872, respectivamente, são preciosidades documentais transcritas neste livro, testemunhos de acontecimentos pormenorizados, de riqueza histórica e de elevado grau sentimental, que dão voz aos verdadeiros protagonistas da imigração. Estes são alguns exemplos de um grande número de relatos, escritos pelos camponeses imigrantes ou aqueles gravados nas entrevistas com os descendentes, que nos são revelados nesta obra como memória para a reconstituição da história da imigração alemã no Espírito Santo".

Para o Secretário de Estado da Cultura, João Gualberto Moreira Vasconcelos, pode-se considerar que o livro empreende uma “travessia” pela compreensão que oferece sobre os fenômenos da vida social, as rupturas e a capacidade de transformar o entendimento referente ao assunto. “Foi o que aconteceu comigo depois da leitura da extraordinária obra. Helmar traça uma magnífica trajetória da imigração alemã em nosso estado. Um trabalho de grande fôlego e de enorme estatura em seu campo. Segundo nos disse o autor, foram gastos 40 anos de pesquisas. O leitor não duvida deste dispêndio de tempo, tão pormenorizadas são as informações e tão criteriosas são as análises”. 

Helmar Rolke

Helmar Reinhard Ro¨lke nasceu em 05 de novembro de 1946, em Santa Maria de Jetibá, no Espírito Santo. Graduou-se em Teologia, com Po´s-Graduac¸a~o em Ética, Cidadania e Subjetividade no Instituto Ecumênico de Po´s-Graduac¸a~o em Teologia (IEPG) pelas Faculdades EST. Entre 1994 e 1996 integrou o Conselho Curador da EST. Em 1998, assumiu o cargo de Pastor Sinodal do Sínodo Espírito Santo a Belém, período em que exerceu a presidência regional do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC) e do Conselho de Ensino Religioso no Espírito Santo (CONERES).

Neuschwanstein: O Mistério Continua

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado sábado, 6 de agosto de 2016 Marcadores: , 0 comentários

Sumiço de chineses no Castelo de Neuschwanstein completa um mês. Sem sinais do casal desaparecido, polícia alemã amplia buscas para toda a área de Schengen. Em 2 de julho, os dois se afastaram de um grupo de turistas que visitava o castelo e nunca mais apareceram.

Um mês depois, o mistério dos chineses desaparecidos no Castelo de Neuschwanstein, no sul da Alemanha, continua longe do fim. Sem obter resultados nas suas investigações, a polícia alemã resolveu ampliar as buscas para todo o Espaço Schengen nesta segunda-feira (01/08). Um porta-voz disse que a possibilidade de que o casal tenha fugido é cada vez maior, pois não há sinais de acidente ou sequestro.

No dia 2 de julho, um sábado, Chen Sihong, de 37 anos, e sua esposa Chen Xiaocia, de 39, desapareceram misteriosamente nas proximidades do castelo, uma das mais populares atrações turísticas da Alemanha, principalmente entre asiáticos.

Os dois participavam de uma excursão pela Europa. Às 16h, o grupo chegou a um estacionamento nas proximidades do castelo. Lá, os participantes teriam duas horas para conhecer a famosa construção que, segundo a lenda, inspirou Walt Disney na criação do castelo de Cinderela.

Sihong e Xiaocia se afastaram dos demais membros do grupo. Eles nunca chegariam ao castelo, no alto de um rochedo, nem participariam da visita guiada pelo local. Eles simplesmente sumiram. Às 18h, todo o grupo de mais de 20 pessoas estava de volta, menos Sihong e Xiaocia. O guia da excursão esperou por mais duas horas. Como eles não apareceram, ele avisou a polícia local e entregou a ela os passaportes do casal. Antes de deixarem o ônibus, todos os integrantes tiveram seus passaportes retidos, o que parece ser um procedimento comum em excursões de chineses.

A polícia iniciou uma busca sem precedentes nas imediações do castelo, com helicópteros, cães farejadores e mergulhadores, que vasculharam os lagos das proximidades. Depois de vários dias de busca infrutífera, a polícia desistiu e, agora, emitiu um alerta internacional.

(Fonte: DW)