Header image

Lembrando Munique

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado domingo, 31 de julho de 2016 Marcadores: , , 0 comentários

Viúvas de dois dos 11 atletas e técnicos israelenses mortos por atiradores palestinos nos Jogos Olímpicos de Munique de 1972 finalmente receberam o reconhecimento pelo qual lutavam há muito tempo. O Comitê Olímpico Internacional (COI) homenageou, no Rio de Janeiro, os mortos no ataque com um minuto de silêncio, e uma cerimônia de inauguração de um monumento em homenagem às vítimas, batizado de "Local de Luto".

"Hoje, a inauguração do 'Local de Luto' nos dá a oportunidade de lembrar aqueles que morreram durante os Jogos Olímpicos", disse o presidente do COI, Thomas Bach, junto a uma pequena plateia formada por funcionários do comitê, membros da delegação israelense, atletas e as viúvas de dois dos esportistas israelenses mortos no atentado terrorista na Vila Olímpica em 1972.

Familiares das vítimas pediam há anos que o Comitê Olímpico Internacional desse um reconhecimento especial aos israelenses mortos. Embora o COI não tenha concedido o pedido de um minuto de silêncio nas Cerimônias de Abertura dos Jogos Olímpicos, decidiu inaugurar o chamado "Local de Luto" que será característica presente nas Vilas Olímpicas em todos os Jogos Olímpicos.

A tragédia começou no fim da madrugada de 5 de setembro de 1972 e durou 18 horas. Oito terroristas palestinos da organização Setembro Negro invadiram os alojamentos da delegação israelense na Vila Olímpica da capital bávara e fizeram nove atletas como reféns. Outros dois morreram na invasão.
O grupo exigia a libertação de 200 árabes presos em Israel. O impasse culminou num tiroteio, que resultou na morte de 11 israelenses, um policial alemão e cinco dos terroristas palestinos. Três extremistas foram presos.

"Isso [a homenagem] representa um encerramento para nós. Isso é incrivelmente importante. Esperamos 44 anos para termos essa lembrança e reconhecimento para os nosso entes queridos que foram brutalmente mortos em Munique", disse Ankie Spitzer. Seu marido, Andre Spitzer, era treinador da equipe de esgrima de Israel e foi morto junto com o halterofilista Joseph Romano, cuja esposa, Illan Romano, também esteve presente na cerimônia desta quinta-feira. "Nunca acreditei que [o reconhecimento] fosse chegar. Depois de 44 anos, estou muito feliz por esse momento histórico", disse Romano. "Não consigo explicar o quanto isso significa para nós", acrescentou Spitzer. "Nós passamos por muita coisa. Sempre recebemos um 'não' [do COI] e, desta vez, não recebemos um simples 'sim', mas um 'sim' bem grande. "Com lágrimas nos olhos, Bach abraçou Spitzer e Romano. "Escolhemos a Vila Olímpica como o local [...] porque ela simboliza a união da família olímpica", disse o presidente do COI.

Bach leu, então os nomes dos 11 israelenses e do policial alemão mortos em 1972. Ele também leu o nome do georgiano Nodar Kumartiashvili, que morreu na véspera dos Jogos Olímpicos de Inverno de Vancouver, em 2010, num acidente enquanto treinava para a prova de luge – uma das diversas modalidades de descida em trenó.

(Fonte: PV/ap/rtr)

Preços Salgados

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado domingo, 24 de julho de 2016 Marcadores: , 0 comentários

Cem reais por uma canga na praia, 18 por um salgado no Parque Olímpico, 400 dólares por um hotel três estrelas: já conhecida pelos altos custos, cidade vê valores dispararem com os Jogos.

Há muito tempo o Rio de Janeiro figura com destaque na lista das cidades mais caras do mundo. Mas às vésperas do início dos Jogos Olímpicos, o maior evento esportivo do planeta, os preços dispararam ainda mais, sobretudo nas áreas turísticas e nos locais frequentados pelos atletas. O preço de uma simples canga de praia pode chegar a 100 reais na orla de Copacabana, e uma coxinha de frango no Parque Olímpico custa nada menos que 18 reais. Não está fácil para ninguém.

Os preços salgados começam na própria loja oficial da Rio 2016, instalada na praia de Copacabana. Lá, o item mais barato é uma moeda de 1 real, comemorativa dos Jogos, que custa 13 reais. Um chaveiro sai a 35, e um moletom com a logomarca dos jogos vale mais de 200. Na areia, alugar uma cadeira e uma barraca e tomar uma lata de cerveja não sai por menos de 25, sobretudo se você tiver pinta de gringo. “É o preço olímpico, né?”, justifica um ambulante. “A gente que carrega o peso também precisa ganhar.”

O economista André Braz, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), concorda com a lógica do vendedor da praia. “Nos locais de maior concentração turística, os preços vão subir mesmo, porque os turistas não estão familiarizados com os valores, e a maioria vem de países com moeda mais forte do que a nossa e dinheiro para gastar”, explica. “Além disso, quando você consome na areia, não é só uma latinha de cerveja que você está consumindo, mas também o serviço, a comodidade. Alguém carregou peso, gelo, para levar o produto até você; é natural que seja mais caro.” “Posso vender a canga até por 100 reais, dependendo do freguês e do movimento”, explica um outro vendedor ambulante, carregando inúmeras saídas de praia coloridas.

Não é uma lógica muito diferente da praticada pelos hotéis da cidade. Os 3 estrelas foram os mais procurados e, não por acaso, os que mais subiram o valor da diária, que, entre 5 e 21 de agosto, ficou em nada menos que 407 dólares – 167% a mais do que nas épocas mais concorridas na cidade, como réveillon e carnaval. A tarifa média de um 4 estrelas ficou 135% mais cara, de acordo com os números do portal Kayak, que compara preços de hospedagem. A diária em um 5 estrelas foi a que menos subiu; 17%. As maiores reclamações, no entanto, estão vindo do Parque Olímpico, na Barra. Sem opções no entorno, os estabelecimentos abertos no local cobram valores mais altos. Um salgado sai a 18 reais, um hambúrguer custa 25, uma garrafa de água mineral vale 8. E o restaurante cobra 98 reais por quilo da comida de bufê.

Na Vila Olímpica, também na Barra, onde as delegações estão hospedadas, um mercadinho cobra preços até três vezes acima do praticado no comércio por necessidades de última hora, como adaptadores de tomada, repelentes e cartões de memória. Um pacote com dez adaptadores – essenciais no país que tem um padrão único de tomada, de três pinos – custa 200 reais. “É a lei da oferta e da procura”, resume o economista André Braz. “Nesses locais em que não há outras opções nem concorrência, e os custos são altos, os comerciantes acabam oferecendo produtos mais caros mesmo. Uma resposta a esses preços é não consumir lá, forçando, eventualmente, uma baixa nos valores."

Braz deixa claro, no entanto, que tal movimento é sazonal – diretamente ligado aos Jogos e ao afluxo de turistas – e não deve afetar os índices de inflação.

(Fonte: DW)

Fraude no Processo Brexit

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado sábado, 9 de julho de 2016 Marcadores: , , 0 comentários

A comissão de petições da Câmara dos Comuns afirmou neste domingo (26/06) que eliminou 77 mil assinaturas fraudulentas da petição online que pede ao Parlamento para que o Reino Unido faça um novo referendo sobre a permanência do país na União Europeia (UE).

A presidente da comissão, Helen Jones, afirmou que o tema está sendo tratado com muita seriedade e continuará investigando a procedência das assinaturas, que já passam de 3,3 milhões. "As pessoas que acrescentam assinaturas falsas deveriam saber que estão sabotando a causa que pretendem defender", afirmou Jones em sua conta no Twitter.

O site de petições da Câmara dos Comuns pede que o votante confirme ser britânico, mas nenhuma verificação é feita nem é exigida alguma prova. Segundo a imprensa britânica, milhares de assinaturas tinham como origem países estrangeiros.

De acordo com o jornal The Telegraph, 39.411 habitantes da Cidade do Vaticano teriam assinado a petição apenas na manhã deste domingo, apesar de a cidade-Estado não contar com mais de 800 habitantes.

Na isolada Coreia do Norte, um dos países do mundo com menos ligações à internet, 23.778 pessoas teriam dado o seu aval à petição.

Locais sem habitantes permanentes, como os territórios britânicos ultramarinos da Geórgia do Sul e das Ilhas Sandwich, situados ao sul das Ilhas Malvinas, geraram mais de 3 mil assinaturas, cerca de 300 mais do que as provenientes do Território Antártico Britânico, onde vivem cerca de 400 cientistas.

A petição, criada no site do Parlamento por um cidadão que se identificou como William Oliver Healey, já é a que reuniu mais assinaturas na história parlamentar britânica. O curioso é que Healey veio a público para declarar que é a favor do Brexit.

Em sua conta no Facebook, ele explicou que iniciou a petição antes da consulta por temer que a vitória seria do campo favorável à permanência na UE. O objetivo dele era torná-la mais difícil. "Com o resultado, a petição foi sequestrada pela campanha favorável à permanência", lamentou Healey, que reiterou seu apoio ao Brexit.

Vários políticos e analistas descartaram a realização de outro referendo e disseram que a petição não tem efeito prático, pois pede a aplicação retroativa de uma lei. O especialista John Curtice advertiu que a petição "não significa nada", pois 3 milhões ainda é muito menos que os 17,4 milhões que votaram pelo Brexit e também que os 16,1 milhões favoráveis à permanência.

(Fonte:  DW)

Startups: Prêmio Inovação

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado domingo, 3 de julho de 2016 Marcadores: , 0 comentários

A Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha de São Paulo é uma instituição que possui como objetivo atrair investimentos para a região, ampliando o comércio bilateral e fortalecendo os negócios entre empresas alemãs e brasileiras.

Com o crescimento da utilização do modelo de inovação aberta, empresas de grande porte e startups se aproximam cada vez mais em virtude do alto potencial desta relação. Neste sentido, a Câmara Brasil-Alemanha lança, em comemoração ao seu centenário no Brasil, a iniciativa Startups Connected, que centraliza todas ações direcionadas às startups, sendo composta pelo Prêmio Brasil-Alemanha de Inovação, o programa AHK Startups Accelerator e a categoria AHK Startups Hub.

O Prêmio Brasil-Alemanha de Inovação já acontece desde 2013 e chega em sua quarta edição com mais de 300 projetos inscritos e dezenas de negócios fomentados. Com o intuito de aumentar a visibilidade das empresas, essa iniciativa possibilita a identificação de produtos e processos tecnologicamente inovadores realizados por startups sediadas no Brasil e na Alemanha.

O Prêmio, uma vez que identifica e qualifica diversas startups, é a porta de entrada para o programa AHK Startups Accelerator, e para o AHK Startups Hub. Em 2016, com seu novo modelo, possui cinco diferentes categorias, sendo elas:

•    Mobilidade – Volkswagen
•    Ciências da Vida – Bayer
•    Cultura – Club Transatlântico
•    Digitalização – Siemens
•    Cidades do Futuro – BASF

Para participar, basta verificar em qual categoria sua startup se encaixa melhor, preencher o formulário e acompanhar seu cadastro.

O AHK Startups Accelerator é um programa de apoio às startups tecnologicamente inovadoras, que tem como objetivo promover o crescimento e gerar oportunidades de negócio entre elas e as empresas patrocinadoras da iniciativa Startups Connected.

A partir da participação no programa de aceleração, customizado individualmente, as startups terão acesso a diversos benefícios alinhados com os objetivos do projeto, como a possibilidade de ser vinculada a desafios das empresas patrocinadoras da iniciativa, a revisão do modelo de negócio e a criação de um plano de ação de acordo com o diagnóstico realizado e desafios apresentados (em acompanhamento quinzenal), além do contato direto com as empresas patrocinadoras do programa e com outros potenciais parceiros.

Para participar, a startup precisa estar qualificada entre as três finalistas em uma das categorias do Prêmio Brasil-Alemanha de Inovação, e também integrar o processo de diagnóstico, visto que será usado como base para escolha das startups que participarão do programa de aceleração.

O AHK Startups Hub é uma categoria de associação à Câmara Brasil-Alemanha exclusiva para startups tecnologicamente inovadoras. Ela foi criada com o objetivo de manter ativa uma rede de startups a partir de benefícios personalizados e condições especiais para acesso.

Para fazer parte é necessário participar ou ter participado do Prêmio Brasil-Alemanha de Inovação, preencher o formulário e efetuar o pagamento da taxa de associação.

Datas e Prazos:

Prêmio Brasil-Alemanha de Inovação:
•    Prazo de inscrição: 1 de junho a 15 de julho;
•    Processo de avaliação: 18 de julho a 2 de setembro;
•    Premiação: 29 de setembro em São Paulo/SP.

Programa AHK Startups Accelerator:
•    Diagnóstico: 30 de setembro;
•    Aceleração: 17 de outubro de 2016 a 17 de janeiro de 2017;
•    Apresentação dos resultados: 1 de fevereiro.

(Fonte: Brasil Alemanha)