Header image

Siemens: Projeto Experimento

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado terça-feira, 18 de agosto de 2015 Marcadores: ,

Fundação Siemens lança no Brasil projeto para despertar nas crianças o interesse duradouro por ciências. Projeto Experimento é uma metodologia desenvolvida na Alemanha pela Fundação Siemens, em parceria com a Casa do Pequeno Cientista, que promove o aprendizado por meio de perguntas investigativas e experimentos em sala de aula. O parceiro pioneiro do projeto no Brasil é a Fundação Visconde de Porto Seguro. O lançamento, no dia 12 de agosto, trouxe ao Brasil a diretora executiva da Fundação Siemens, Nathalie von Siemens, e contou com uma mesa-redonda entre educadores.

As chances de um interesse duradouro pela natureza e pela ciência aumentam quando crianças e adolescentes aprendem pela observação e podem desempenhar eles mesmos um papel ativo na pesquisa. Diante dessa premissa, a Fundação Siemens traz da Alemanha o educativo internacional Experimento, construído sobre as bases desse reconhecimento. Ele é voltado para educadores da fase da educação infantil e professores do Ensino Fundamental e Médio. A iniciativa baseia-se no princípio do aprendizado por investigação. Com ajuda de experiências desenvolvidas e specificamente para as faixas etárias que vão de 4 a 18 anos, as crianças e os adolescentes debruçam-se com autonomia sobre os fenômenos naturais e aprendem a compreender contextos científico-naturais por meio de pesquisas e descobertas próprias.

O Projeto Experimento será lançado no Brasil no dia 12 de agosto, no Colégio Visconde de Porto Seguro, um dos parceiros na organização da iniciativa no Brasil. Com um modelo de parceria inédito na história do projeto, os professores do Porto Seguro irão agir como multiplicadores da metodologia, capacitando, em uma etapa posterior, educadores de escolas públicas para disseminar a prática com seus alunos. A parceria se deu tanto pela tradição do Porto Seguro ao estímulo à investigação científica, quanto por já serem um parceiro da Fundação Haus der kleinen Forscher (Casa do Pequeno Cientista) desde 2014. “Estamos muito felizes por trazer para o Brasil algo que possa contribuir com o ensino da ciência no país”, comenta Henrique Petersen Paiva, Gerente de Sustentabilidade da Siemens Brasil. “Mais do que nunca, o futuro do nosso desenvolvimento global depende de jovens capazes de distinguir desde cedo tais desafios, ocupando-se deles construtivamente e assumindo responsabilidades”. O projeto, que também está presente em países como África do Sul, Colômbia, Argentina, Chile, Peru, México e Quênia, foi desenvolvido na Alemanha pela Fundação Siemens, junto com a Casa do Pequeno Cientista. Os kits estão divididos em três faixas etárias: de 4 a 7 anos (Experimento|4+), de 8 a 12 anos (Experimento|8+) e de 10 a 18 anos (Experimento|10+), oferecendo 130 experimentos no total, com os quais educadores e professores podem apresentar desafios globais a crianças e adolescentes de cada uma das faixas etárias, como a questão do efeito estufa, as energias renováveis ou a obtenção de água potável. No Brasil, apenas a primeira faixa está disponível no momento, mas as demais devem ser trazidas na segunda etapa do projeto. “O Colégio Visconde de Porto Seguro se identificou, desde o primeiro momento, com o Projeto Experimento, por apresentar uma metodologia que consegue colocar, na prática, a teoria”, conta Silmara Rascalha Casadei, diretora geral pedagógica do Colégio Visconde de Porto Seguro. Para ela, a nascente das ciências está na observação e na pergunta – e espera-se que essas competências sejam desenvolvidas pelas crianças desde pequenas. “Desejamos que, por meio dessa iniciativa, sejam oferecidas respostas inovadoras diante de um mundo repleto de desafios para um futuro mais próspero e sustentável”, completa a diretora. As caixas, contendo diversos materiais, são verdadeiros laboratórios móveis que proporcionam experiências, trabalhos em equipes, investigações, alegria e entusiasmo por novas descobertas. “Com a possibilidade de multiplicar o conhecimento para os professores de escolas públicas, o projeto torna-se também de alta relevância social”, conclui Silmara.

O objetivo da Fundação Siemens é expandir o alcance do projeto a colégios de mais cidades brasileiras, principalmente da rede pública de ensino, na qual a Fundação Siemens e parceiros são responsáveis pela doação dos kits e treinamento dos professores. “Em três anos, queremos ter mil professores envolvidos com o projeto. Para tanto, vamos ampliá-lo para o público 8+ em 2016 e para o 10+, em 2017”, diz Paiva. “Com isso, pretendemos consolidar essa nossa ação voluntária, que só traz benefícios à sociedade”, finaliza. 

Na cerimônia de lançamento do projeto, será realizada uma mesa-redonda com educadores de diferentes instituições de ensino, como escolas, universidades e fundações, além de membros da Secretaria da Educação. “Qual o rumo do ensino de Ciências no Brasil e o que podemos aprender com experiências de fora?” será o tema da reunião. No evento, estarão presentes Nathalie von Siemens, diretora executiva da Fundação Siemens; Paulo Stark, presidente e CEO da Siemens Brasil; Emília Cipriano, secretária adjunta de educação de São Paulo; e Roseli Lopes, coordenadora geral da Febrace. A cerimônia contará ainda com a participação de Carla Ahlemeyer Dauch, coordenadora pedagógica do Currículo Bilíngue, e Carlos Alberto do Nascimento Jr., diretor institucional pedagógico, ambos do Colégio Visconde de Porto Seguro. Na ocasião, Nathalie von Siemens visitará uma sala de aula para acompanhar, na prática, o Projeto Experimento com os alunos do colégio.

(Fonte: Siemens Brasil)

0 comentários:

Postar um comentário