Header image

Controvérsia com Fóssil

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado quinta-feira, 30 de julho de 2015 Marcadores: , , 0 comentários

Brasileiros questionam como fóssil de cobra com patas chegou à Alemanha. Fóssil originário do Ceará foi descrito na prestigiada revista 'Science'. Ele está em museu alemão; governo brasileiro desconfia de 'descaminho'.

Paleontólogos brasileiros questionam a legalidade da obtenção de um fóssil encontrado no país e que foi tema de um estudo publicado na prestigiada revista “Science” do dia 23 de julho. O material, que levou à descrição de uma nova espécie de cobra que tinha quatro patas e viveu no Brasil há mais de 120 milhões de anos, encontra-se atualmente na Alemanha. Questionados, o autor da investigação e o museu onde se encontra o artefato não deram detalhes sobre como ele teria chegado à Europa. Segundo os estudiosos brasileiros, a peça, originária da Formação Crato, na Bacia do Araripe, no Ceará, pode ter sido retirada de maneira ilegal do país e levada para a Alemanha, onde está abrigada no Museu Bürgermeister-Müller, em Solnhofen.

Eles alegam que os autores do artigo científico reconhecem que a peça analisada é originária do Brasil, mas afirmam que eles não seguiram normas exigidas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, o CNPq, para análise de fósseis achados aqui. "Informações importantes quanto à origem do fóssil são deixadas de lado para que o autor não seja incomodado por nós brasileiros quanto à origem", afirma Antônio Álamo Feitosa, diretor científico do Geopark Araripe, local onde o material foi encontrado, segundo o artigo. Felipe Chaves, chefe da divisão de proteção de depósitos fossilíferos do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), órgão do Ministério de Minas e Energia que poderia autorizar a exportação de um fóssil, garante que não foi concedida permissão para este objeto desde que o departamento tem essa atribuição (2006). "A peça saiu do Brasil sem a anuência do DNPM", garante Chaves. Mesmo se tivesse saído do país antes de 2006, dificilmente seria por meios legais, já que, desde 1942, a comercialização de fósseis é restrita por lei por serem considerados bens da União. "Acreditamos que a saída tenha sido ilícita, por descaminho", afirma. A descrição do fóssil foi publicada nesta quinta-feira (23) na revista "Science", em artigo assinado por David M. Martill, paleontólogo da Universidade de Portsmouth, no Reino Unido, que já atuou no Brasil, além de Helmut Tischlinger e Nicholas Longrich.

O material apresenta a espécie Tetrapodophis amplectus, uma cobra de quatro patas que viveu no território onde atualmente fica o Brasil, quando ainda existia o supercontinente Gondwana. A ciência atual não tem dúvida de que lagartos e cobras, em termos de evolução, são espécies muito próximas. O que se tinha comprovado até então era que, com o passar do tempo, os lagartos evoluíram para lagartos com corpo de serpente e patas, e, posteriormente, para serpentes. Agora, o fóssil é uma peça dessa evolução: as cobras com patas. “É o primeiro de uma cobra com quatro patas e cinco dedos. Isso muda a história evolutiva das cobras. Conheciam-se apenas três estágios e agora, eles são quatro”, explica Álamo. Mas, na opinião dele, essa descrição só aconteceu porque houve desrespeito à legislação brasileira, que há 73 anos proíbe a extração e posterior comercialização desses itens. No material complementar da "Science", os autores do estudo afirmam que a peça está há décadas em uma coleção particular, que atualmente se encontra no museu alemão.

De acordo com Max Langer, presidente da Sociedade Brasileira de Paleontologia, é provável que esse material tenha saído do país há poucos anos, mas não é possível comprovar. “A gente fica indignado com um negócio desses. É algo que deve ser fantástico. Saiu do nosso país, está depositado fora, estudado por pessoas de fora”, disse. “A sociedade não tem o que fazer, mas uma vez que o fóssil está fora do Brasil, passa a ficar fora da alçada da Polícia Federal”, disse ele, citando que a PF é responsável por coibir o contrabando de peças. Felipe Chaves, do DNPM, acredita que poderia haver repatriação. "Há a possibilidade de repatriação desse fóssil. Como acreditamos que a sua saída do país se deu por descaminho, a primeira medida a ser tomada é a caracterização do delito, via investigação da Polícia Federal", afirmou. Comprovado o crime de descaminho, e com o apoio do Ministério das Relações Exteriores, o governo brasileiro poderia requerer ao governo alemão a repatriação da peça, diz Chaves. Atualmente, para um pesquisador estrangeiro atuar no Brasil, é preciso apresentar um projeto de pesquisa ao CNPq que tenha parceria com pesquisadores brasileiros. Após análise, o órgão, ligado ao Ministério da Ciência, autorizaria o estudo.

Por e-mail, o pesquisador inglês David Martill  disse não saber quando esse fóssil foi retirado do Brasil e levado da Alemanha. “Sou só um cientista que viu um espécime no museu”, afirmou. Questionado se ele tinha alguma autorização de órgãos brasileiros ou parceria com universidades daqui para conduzir a pesquisa, de acordo com as regras do CNPq, Martill explicou que não vem ao Brasil há pelo menos dez anos e que “não precisa de autorização do Brasil para estudar fósseis brasileiros em coleções dos Estados Unidos ou Europa”. “Posso estudar o que eu quero aqui”, completou. O Museu Bürgermeister-Müller também foi procurado para informar quando o fóssil chegou ao local e como. No entanto, o diretor Martin Röper não respondeu aos questionamentos e pediu apenas que a reportagem procurasse Martill. O CNPq não informou se há pesquisas conduzidas no país com os nomes dos autores do artigo. Apenas afirmou que o órgão “financia projetos de pesquisa em território brasileiro que incluam pesquisadores estrangeiros, desde que estejam mediante acordo de cooperação internacional com instituições brasileiras”.  O conselho disse ainda que “não é da competência do CNPq autorizar e fiscalizar a exportação de fósseis descobertos no Brasil”. Já a revista “Science” informou que os autores abordaram questões sobre a proveniência do fóssil dentro do material suplementar do artigo, o que foi considerado suficiente para a publicação do estudo. “Não temos informações sobre como foi coletado ou por quem, mas ficamos satisfeitos com as provas científicas dos autores, de que o material foi retirado de um sítio [arqueológico] brasileiro”, informou a revista por e-mail.

(Clipping - Fonte: G1)

Palestra "Crianças do Reich"

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado segunda-feira, 20 de julho de 2015 Marcadores: , 0 comentários

Palestra “CRIANÇAS DO REICH”
Informações Gerais
Ciclo de Palestras Sobre História Militar Etapa 2015 - 10 ANOS (2005-2015)  

O Que é? Palestra do Ciclo de Palestras Sobre História Militar, que acontece há uma década.
Qual é o Tema? “Crianças do Reich: Educando para o Partido, Preparando para a Guerra”. A palestra aborda a educação pelo regime nacional-socialista e suas repercussões na sociedade alemã da Segunda Guerra Mundial. Apresenta, ainda, uma rápida introdução à ascensão de Adolf Hitler ao poder e às condições da Alemanha no pré-guerra.
Quem é o Palestrante? Fabricio Gustavo Dillenburg tem formação em História, é diretor do Núcleo de Estudos de História Militar Vae Victis, Acadêmico da Federação das Academias de História Militar Terrestre do Brasil (FAHIMTB) – Cadeira nº 14, Gen Francisco de Paula Cidade – e membro do Instituto de História e Tradições do Rio Grande do Sul (IHTRGS). É Delegado da Academia no RS e possui dezenas de artigos publicados. Escreveu “Kamikaze: as Invasões Mongóis e as Origens do Vento Divino”.
Quando Será? Dia 28 de julho, terça-feira, às 20h.
Onde Será? Na ACG/Casa da Juventude, em frente ao Lago Negro, em Gramado, RS.
Há Custo? Os ingressos custam R$ 15,00. Vagas limitadas a 50 ingressos.
Onde Adquiro Ingressos? No Empório Canela (Canela, próximo à “Catedral” de Pedra, Rua Felisberto Soares, 258, Centro – Telefone (54) 3031 1000); na ACG/Casa da Juventude (em Gramado, em frente ao Lago Negro, Rua 25 de Julho, 833 – Telefone (54) 3286 1811). 
A Quem se Destina? A palestra é indicada para todos aqueles que têm interesse em História (não apenas militar) ou que desejam ampliar seus conhecimentos. Não há idade referencial. Toda a palestra é ilustrada com fotografias e vídeos.

Mais Informações: Pelos telefones (54) 3286 1811 (ACG/Casa da Juventude), (54) 3031 1000 (Empório Canela) ou 54 9913 9650. Ou pelo e-mail:  nucleomilitar@gmail.com

Promoção:
Núcleo de Estudos de História Militar Vae Victis
Federação das Academias de História Militar Terrestre do Brasil (FAHIMTB – AHIMTB/RS)
Delegacia Regional AHIMTB/RS Gen Francisco de Paula Cidade
Associação Cultural Gramado / Casa da Juventude

Comemorando a Imigração

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado quarta-feira, 15 de julho de 2015 Marcadores: , , 0 comentários

A Prefeitura de Novo Hamburgo, por meio de um grupo formado pelas secretarias municipais, promove a realização dos “10 Dias de Imigração Alemã”. De 19 a 28 de julho, diversas atividades vão acontecer, com foco principal no Bairro Hamburgo Velho, local onde residiram os primeiros imigrantes no Município. A programação tem o objetivo de festejar as origens da Cidade, valorizando a cultura trazida pelos alemães.

A abertura dos “10 Dias de Imigração Alemã” ocorre no dia 19 de julho, às 10h, em Lomba Grande, junto à tradicional Festa do Colono. Neste primeiro dia de atrações, haverá almoço e show/baile na Paróquia São José (Rua João Aloysio Allgayer, 1311). “Convidamos toda a comunidade para participar. Esta é uma forma de conhecermos muito da história, nos reportarmos a memória dos antepassados que aqui viveram e comemorarmos os festejos da imigração alemã”, destaca o prefeito Luis Lauermann. 

Até o dia 28 de julho haverá eventos culturais como: Roda de Memória (ação que reúne profissionais para falarem sobre o tema proposto), City Tour (hamburguenses e visitantes podem conhecer pontos turísticos da cidade), 20VernaPraça (apresentações de dança, música, arte circense, intervenções cênicas e mostra de artes plásticas na Praça 20 de Setembro), Baile de Bandinha, Aula Pública em Hamburgo Velho (visita guiada pelos prédios históricos), Festa da Imigração Alemã (com diversas atrações culturais, praça de alimentação, jogos germânicos e baile) e o Seminário do Patrimônio Histórico (que reunirá o público interessado para discutir temas levantados após o tombamento do Centro Histórico de Hamburgo Velho pelo Governo Federal).

Detalhes sobre o evento podem ser conferidos no site www.novohamburgo.rs.gov.br. Informações pelo telefone 3593-2013 (Secretaria de Cultura).

Distinção Imigração Alemã RS 2015

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado domingo, 5 de julho de 2015 Marcadores: , , 0 comentários

Martin Dreher receberá Prêmio Distinção Imigração Alemã RS 2015 pela Região Metropolitana. A solenidade de entrega do prêmio com jantar típico está marcada para o próximo dia 18 de julho, no Centro Cultural 25 de Julho de Porto Alegre, às 19h30min. Convites pelo tel. (51)3342.8733 ou pelo e-mail comissaoimigracaoalemars@gmail.com

Martin Norberto Dreher é natural de Montenegro/RS, onde nasceu a 10 de novembro de 1945. Seus primeiros antepassados, originários do Principado de Birkenfeld, então integrado ao Ducado de Oldenburg, chegaram ao Rio Grande do Sul em dezembro de 1825, dando origem a pequenos proprietários nas picadas, a artesãos e a navegadores fluviais nos novos centros urbanos do Rio Grande do Sul. Estiveram, assim, envolvidos na Guerra Cisplatina, na RevoluçãoFarroupilha, no Conflito Mucker e sofreram as agruras decorrentes do fato de, no aspecto religioso, serem parte do primeiro grupo de dissidentes religiosos a se fixar definitivamente no Brasil. 

Pelo lado materno, Dreher descende de imigrantes alemães originários de Württemberg e do Sarre que se estabeleceram na Província de São Paulo para atuar como pastores e professores entre alemães e suíços de fala alemã que atuavam como meeiros nas fazendas de café da região de Campinas. Uma irmã de sua bisavó foi a primeira diretora do Hospital Alemão de Porto Alegre. A história familiar, muito presente em lar humilde, o envolvimento na Comunidade Evangélica de Confissão Luterana e sua luta para reerguer a escola dos imigrantes marcaram sua formação e sua futura atividade profissional. Após estudos preparatórios em Montenegro na Escola Sinodal Progresso e no Ginásio São João Batista, dirigido por Irmãos Maristas, frequentou, em São Leopoldo, o Instituto Pré-Teológico, um curso humanístico, e a Faculdade de Teologia, hoje integrada nas Faculdades EST. Seguiu-se doutorado em Teologia, com concentração em História da Igreja, na Universidade de München, concluído em 1975. O doutorado e a posterior docência nas Faculdades EST e na Universidade do Vale do Rio dos Sinos determinaram sua carreira como professor e pesquisador, orientador, conferencista, organizador de seminários e simpósios, sem jamais deixar de atuar também como pastor da Igreja Evangélica de Confissão Luterana. De sua produção intelectual resultaram, entrementes, cinquenta livros, diversos dos quais reeditados, artigos em revistas especializadas, edições de fontes e a participação na confecção das enciclopédias Religion in GeschichteundGegenwart, ReligionPastandPresent, GermanyandtheAmericas. Culture, Politics and History e The Cambridge Dictionary of Christianity. Suas publicações e orientações acadêmicas a nível de graduação, mestrado e doutorado estão dedicadas à História da Igreja na América Latina, à História da Imigração e Colonização na América Latina e à Reforma Religiosa do Século XVI.

No que tange a sua atuação em prol da cultura alemã no Rio Grande do Sul merecem destaque suas conferências e seus estudos sobre a imigração e colonização alemãs. Elas iniciam com a publicação da tese Kirche und Deutschtum in der Entwicklung der Evangelischen Kirche Lutherischen Bekenntnisses in Brasilien (1978), com duas edições brasileiras sob o título Igreja e Germanidade. Estudo crítico da história da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, tem sequência com a publicação de diversas contribuições presentes nos Anais dos Simpósios sobre Imigração e Colonização Alemãs do Instituto Histórico de São Leopoldo e tem expressão maior nos livros Imigração Alemã no Rio Grande do Sul – Recortes, Hermann Gottlieb Dohms – Textos Escolhidos, Degredados de Mecklenburg-Schwerin e os Primórdios da Imigração Alemã no Brasil, Wilhelm Rotermund, Seu Tempo – Suas Obras, 190 Anos de Imigração Alemã no Rio Grande do Sul. Esquecimentos e Lembranças. 

Não sem importância para a cultura trazida pelos imigrantes alemães ao Rio Grande do Sul estão seus estudos sobre a religião dos imigrantes, em cujo contexto deve ser situada a edição de fontes sobre Martim Lutero e a obra recente De Luder a Lutero. Uma biografia.  No prelo encontra-se obra dedicada ao movimento Mucker e que leva por título A Religião de Jacobina.