Header image

Doutorado 78 Anos Depois

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado quarta-feira, 27 de maio de 2015 Marcadores: , 0 comentários

Aos 102 anos, alemã obtém doutorado negado pelos nazistas. Com 24 anos de idade, Ingeborg Rapoport tinha tudo pronto para obter seu doutorado. Ela tinha entregado uma tese sobre difteria e só faltava a defesa. Mas as leis raciais que a Alemanha nazista havia aprovado pouco antes impediam a emissão de títulos para pessoas como ela. Seu pecado fora herdado da mãe, que era judia. Passaram-se 78 anos desde então, e o mesmo país que arrebatou de Rapoport o que era dela vai homenageá-la em 9 de junho. Nesse dia ela receberá o título para o qual começou a se preparar quando era jovem e concluiu já centenária.

“Esse exame foi o que mais trabalho me deu na vida”, disse em sua casa localizada no leste de Berlim essa mulher de 102 anos que tem a cabeça lúcida para receber o jornalista com alguns versos de Manuel Machado. “O sol cego se despedaça nas duras arestas das armas. Poeira, suor e ferro. O Cid cavalga!”, recita ela em espanhol, idioma que desconhece.

Ninguém deu de presente a Rapoport o doutorado que está prestes a receber. A Universidade ofereceu-lhe um título honorífico, mas essa solução não a convenceu. Ela só aceitaria se fosse como manda a lei.

A iniciativa partiu do decano da Faculdade de Medicina da Universidade de Hamburgo, que em um ato lhe disse palavras que não esquece: “A senhora terá notícias minhas em breve”. Poucos dias depois, o decano propôs fazer o possível para recuperar o seu doutorado. Desde então, os obstáculos foram muitos. Rapoport, que está praticamente cega, não podia pesquisar os avanços científicos dos últimos anos. Mas essa lacuna foi preenchida pela colaboração de colegas, que a ajudaram a ficar atualizada. Finalmente, o decano e outros professores submeteram-na a um exame em sua própria sala, há duas semanas. Ele passou na prova com louvor. “Eu não fiz isso por mim. Nessa altura da minha vida, um título não me acrescenta nada. Era uma questão de princípios. Trata-se de reparara uma injustiça que foi cometida”, diz ela. “Além disso, queria fazer bem o exame para não decepcionar o decano”, acrescenta com um sorriso.

Os obstáculos burocráticos também foram importantes. “Sou muito desorganizada, mas por sorte encontramos o certificado no qual negavam-me o título”, explica. Apesar do tempo decorrido desde que esse texto foi escrito, lê-lo hoje continua a me estremecer. “Pelo presente certifico que Ingeborg Syllm [seu sobrenome de solteira] entregou-me um trabalho que seria válido como doutorado se as leis existentes não o tornassem impossível pela ascendência da senhorita Syllm”, diz sem rodeios o documento, assinado pelo diretor da Clínica Universitária Infantil de Hamburgo em 30 de agosto de 1938. “Sem esse documento não teria sido possível iniciar o processo”, acrescenta a doutora.

Este não é o primeiro recorde batido por Rapoport. Antes de se tornar a pessoa mais velha a obter um doutorado ela ocupou, em 1969, a primeira cátedra de neonatologia de toda a Europa no Hospital Charité, em Berlim, na antiga República Democrática Alemã (RDA).

Rapoport, que tira o telefone do gancho para evitar as chamadas constantes de felicitações e poder manter uma conversa tranquila, já está habituada a que sua vida provoque interesse.

Em 1938, fugiu do país que Adolf Hitler governava rumo aos Estados Unidos. “Senti-me expulsa de minha própria casa. Aqui ficou toda a minha família e eu tinha apenas 38 marcos no bolso”, recorda. Do outro lado do Atlântico conheceu o marido, teve quatro filhos e obteve outro doutorado. Mas também teve que fugir de lá. As simpatias do casal ao comunismo não eram bem vistas na época da caça às bruxas do senador Joseph McCarthy (1947-1957). A família se mudou primeiro para a Áustria e, em 1952, para a RDA. “Apesar de tudo o que passei, não me queixo. As coisas saíram bem”, conclui.

(Fonte: El País)

IV Deutsche Abend

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado quinta-feira, 21 de maio de 2015 Marcadores: , , , 0 comentários

É com grande alegria e satisfação que o grupo de danças “Lustiger Volkstanzgruppe” vem convidá-los a prestigiarem a IV DEUTSCHE ABEND que será realizado, no dia 27 de junho de 2015, no parque Christoph Bauer, município de Forquetinha. 

A programação será seguinte:

19h – recepção aos grupos;
19h e 30 min- Janta, ao custo de R$ 25,00.
21h – Início das Apresentações do grupo anfitrião e grupos visitantes. 

O grupo poderá escolher uma dança para apresentá-la. 

Por favor, confirmar a presença até o dia 22 de junho pelo E-mail raquel_rockenbach@yahoo.com.br, ou pelos telefones (51)97935928, (51)3613-2034, na escola. 

Desde já agradecemos sua atenção e esperamos contar sua presença!

Pedro Mann (Presidente) e Raquel Maria Rockenbach (Coordenadora)

31ª Ein Deutsches Volksfest

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado sábado, 16 de maio de 2015 Marcadores: , , , 0 comentários

Amigos folcloristas,
é com muita alegria e satisfação que o Centro Cultural Eintracht vem por meio deste convidá-los para participar da 31ª Ein Deutsches Volksfest. Ocorrerá no Clube 15 de Novembro (Av. Brasil, 3092 – Centro – Campo Bom/RS) no dia 11 de julho de 2015, com a seguinte programação:

19h30min – Recepção dos grupos visitantes
20h – Início do serviço de jantar
21h – Início das apresentações folclóricas dos grupos visitantes
22h – Apresentação do Grupo Oficial do Centro Cultural Eintracht
22h30min – Início do baile com animação da Banda Happy Brass, de Salvador do Sul, RS, RS (www.bandahappybrass.com.br)

O valor do baile com jantar será vinte e oito reais (R$28,00) por pessoa. Somente baile, será quinze reais (R$15,00) por pessoa.

Para nossa melhor organização, pedimos a confirmação da presença do grupo até o dia 6 de julho de 2015, indicando o número de pessoas que virão e o nome de duas danças, das quais apenas uma será apresentada. É necessário trazer mídia (CD, pendrive) com a música escolhida. Salientamos que, devido à limitação de espaço, a quantidade de pessoas será restrita, portanto, para garantir a participação, confirme com antecedência. Confirmar com Débora Bohrer através de: oficialcceintracht@gmail.com e/ou (51) 92424047.

Desde já agradecemos a atenção e esperamos contar com a ilustre presença.

Débora Bohrer
Coordenadora do Grupo de Danças Oficial

CENTRO CULTURAL EINTRACHT
Rua Rui Barbosa, 217 – Centro 
Campo Bom – RS
www.eintracht.com.br

Fim da Guerra

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado sexta-feira, 8 de maio de 2015 Marcadores: , 0 comentários


No dia 8 de maio de 1945 a Alemanha nazista se rendeu aos aliados. Nesta sexta-feira (08/05) a Europa comemora os 70 anos do fim da Segunda Guerra Mundial. Em Paris o secretário de Estado americano, John Kerry, se uniu ao ministro francês do Exterior, Laurent Fabius, e ao presidente François Hollande em uma marcha até o Arco do Triunfo. A cidade de Pilsen, na República Tcheca, realiza uma semana de festividades.

"Com essa assinatura, o povo e as forças armadas alemãs se entregam, para o pior ou para o melhor, às mãos dos vitoriosos", declarou em 1945 Alfred Jodl, um general fiel a Adolf Hitler até o suicídio do ditador, ao assinar a rendição dos nazistas. "Nessa guerra, que durou mais de cinco anos, sofremos e realizamos talvez mais do que qualquer outro povo no mundo."

Uma quantidade até então inimaginável de pessoas morreu na Europa durante o conflito: 8 milhões de alemães, 5,6 milhões de poloneses, 24 milhões de soviéticos e 6 milhões de judeus, muitos destes pelas mãos dos nazistas e seus colaboradores. A guerra matou mais de 60 milhões de pessoas na Europa e na Ásia, das quais se estima que 45 milhões eram civis.

Na Alemanha, onde o Dia da Vitória na Europa não é feriado, as câmaras alta e baixa do Parlamento realizaram uma sessão conjunta para lembrar o fim da guerra, também chamado de dia da libertação.

Durante a noite desta quinta e a manhã de sexta-feira, os lideres de diversas nações bálticas, da República Tcheca, Eslováquia, Romênia, Espanha, Bulgária, Chipre e Croácia – atuais membros da União Europeia que foram ocupados pelos nazistas ou governados por líderes ligados a eles – se reuniram em Gdansk, local onde a Alemanha invadiu a Polônia em 1939.

Os poloneses consideram o 8 de maio como o dia de sua libertação dos nazistas e do início de quatro décadas de ocupação soviética.

Quando os nazistas se renderam, já passava da meia-noite em Moscou, por isso a Rússia celebra o Dia da Vitória em 9 de maio. Muitas das ex-repúblicas soviéticas também comemoram o fim da guerra nessa data.

Neste sábado a Rússia realiza uma cerimônia para celebrar os êxitos da União Soviética na guerra, sob o comando de Josef Stalin. O evento está cercado de controvérsias em razão do apoio de Moscou aos separatistas no leste da Ucrânia e pela anexação da península da Crimeia em 2014.

Recentemente, aumentaram as tensões entre a Rússia e a Polônia, e as autoridades polonesas marcaram as comemorações em Gdansk como uma alternativa às de Moscou, contando com a presença do presidente ucraniano, Petro Poroshenko e do secretário-geral das Nações Unidas, BanKi-moon.

Na quinta-feira, autoridades alemãs e russas realizaram homenagens aos soldados do exército vermelho mortos na Batalha de Stalingrado.

Blog do 25 de Julho

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado segunda-feira, 4 de maio de 2015 Marcadores: 0 comentários