Header image

Feira do Livro de Frankfurt

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado segunda-feira, 29 de setembro de 2014 Marcadores: , 0 comentários

A cada ano, antes da Feira do Livro de Frankfurt, a Associação Alemã do Comércio Livreiro escolhe o melhor romance da língua alemã. O objetivo da premiação é ir além das fronteiras do país para chamar a atenção para os autores alemães. Editoras alemãs podem se inscrever diretamente no site do prêmio e incluir seu livro na lista de “candidatos”. Há uma particularidade: também podem participar do processo seletivo livros que ainda se encontram em fase de construção. Além disso, é garantida a escolha autônoma e competente de sete juízes, que examinam todos os livros enviados. A equipe dos juízes muda a cada ano, para garantir uma transparência mais eficaz. Depois do prazo de inscrição, os juízes fazem uma lista “Longlist” com os 20 melhores títulos, dos quais os seis melhores, a “Shortlist”, passam para a fase final. A lista dos seis melhores romances alemães foi publicada nessa quarta feira. A cerimônia de entrega do prêmio será no dia 6 de outubro. A Feira do Livro será nos dias 8 até 12 de outubro, em Frankfurt.

Seguem os seis candidatos da Shortlist:

Thomas Hettche – Pfaueninsel (A ilha dos pavões )
Editora: Kiepenheuer & Witsch

A ilha dos pavões no Havel em Potsdam, que servia como refúgio dos reis prussianos, foi transformada no século XIX de Lenné e Schinkel com a ajuda do jardineiro Fintelmann  em um paraíso artificial. Havia cangurus, um leão, palmeiras, árvores-do-céu, um habitante dos mares do sul, um gigante e anões. O autor, Thomas Hettche, conta sobre o mundo esquecido na ilha e a pequena Marie, proprietária da ilha dos pavões. O romance dele conta um pouco da vida dela, do nosso ideal de beleza e do desejo de algo exótico, da dignidade humana, do ser e do tempo – e de um trágico amor.

Angelika Klüssendorf – April (Abril)
Editora: Kiepenheuer & Witsch

Depois do seu livro „A Menina“ (Das Mädchen), Angelika Klüssendorf ,a autora , continua a história de sua heroína jovem. Os caminhos de uma ?chegam a uma vida própria com seus problemas e confrontos. No início, ela tem apenas uma mala e um quarto de aluguel. A garota chamada April cancela a sua formação e começa um trabalho de secretária auxiliar. Entre velhos amigos e novos conhecidos ela tenta se virar na cidade Leipzig, no final dos anos 70. Constantemente, ela confronta-se com a pergunta sobre a sua infância, uma infância com as lembranças de uma mãe irresponsável e de um pai alcoólatra. Angelika Klüssendorf conta o romance com sensibilidade psicológica e uma visão clara das circunstâncias sociais da época.

Gertrud Leutenegger – Panischer Frühling (Primavera pânica)
Editora: Suhrkamp

Uma erupção vulcânica na Islândia pára o tráfego aéreo europeu e milhares de pessoas ficam presas nos aeroportos. Enquanto as imagens da nuvem cinza rodam pelo mundo, um céu azul de primavera se estende em cima do rio Tamisa. Na ponte London Bridge, a narradora conhece um jovem com uma marca no rosto, chamado Jonathan. Ele é um contador de histórias fantástico e conta a ela como fugiu da costa do sul da Inglaterra por causa do avanço do mar. A partir daí eles se encontram todo dia na ponte e aos poucos os segredos de um fazem parte do outro. Porém, assim que os aviões voltam, Jonathan desaparece. Ao final da primavera, a narradora decide procurar por Jonathan e por si mesma.

Thomas Melle - 3000 Euro (3000 Euros)
Editora: Rowohlt.Berlin

O autor Thomas Melle conta em seu livro, “3000 Euros”, um romance sobre duas pessoas vindas de classes sociais pobres. Denise, que trabalha em um supermercado e muitas vezes é sobrecarregada com sua filha Linda, tenta sair da miséria participando de um filme pornô. Anton, que é um ex-aluno do curso de direito e endividado até o ponto de não conseguir morar mais na sua casa, espera a sua falência particular. Os dois constroem uma relação carinhosa, delicada e quase impossível. Ambos tentam se abrir para o outro, mas quando Denise recebe o seu dinheiro e o julgamento de Anton chega mais perto eles têm que decidir o quanto eles ainda querem se aproximar. Thomas Melle, o autor, escreve sobre afeto, amor e a questão o quanto três mil euros valem nesta vida.

Lutz Seiler - Kruso
Editora: Suhrkamp

Depois de uma catástrofe em sua vida, Edgar Bendler foge e deixa para trás tudo que tinha. Ele vira lavador de pratos na ilha Hiddensee. No bar Klausners, onde trabalha, ele conhece Ed Alexander Krusowitsch e inicia uma relação delicada e difícil. Krusowitsch, o mestre e chefe da ilha, ensina a ele os rituais dos trabalhadores sazonais e as leis de suas noites. O motor secreto da comunidade de Krusowitsch é a utopia que promete a todos náufragos mostrar as “raízes da liberdade”. Mas o outono de 89 atinge a ilha e no final acontece uma luta de vida e morte, e uma promessa. O livro de Lutz Seiler começa no verão de 89 e vai até os dias atuais. Com pesquisas e investigações a história segue os trilhos daqueles que desapareceram na sua fuga sobre o mar báltico.

Heinrich Steinfest - Der Allesforscher (O investigador de tudo)
Piper Verlag

O autor Heinrich Steinfest escreve em seu romance “O investigador de tudo” (Der Allesforscher) sobre Sixten Braun, um instrutor de natação que antes tinha uma carreira de gerente. Após um acidente de avião em qual ele quase morre, sua vida muda. Anos depois ele vira pai de uma criança que, primeiramente, aparenta não ter nada a ver com ele, mas ao mesmo tempo, tudo. O menino órfão chamado Simon não se comunica com ninguém, apenas fala uma língua que somente ele entende e demonstra habilidades extraordinárias em áreas estranhas. Ele escala com uma camurça e desenha como Leonardo da Vinci. Com esse menino, Sixten aprende várias lições em sua vida.

(Fonte: DW)

181ª Oktoberfest

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado terça-feira, 23 de setembro de 2014 Marcadores: , , 0 comentários

De 20 de setembro até 5 de outubro será realizada a 181ª Oktoberfest na Theresienwiese em Munique. Todo o ano são esperados por volta de 6 milhões de visitantes do mundo inteiro tendo uma tendência crescente de se vestir iguais como os bávaros com ‘Dirndl’ e ‘Lederhosn’. Na Theresienwiese, o prado onde as barracas da festa, 14 grandes e 15 pequenas, estão montadas em uma área de 31 hectares.

A Oktoberfest em Munique é conhecida como a maior festa popular de cerveja no mundo, seguida da Oktoberfest em Qingdao na China com 3 milhões de visitantes. Além desta, há ainda uma festa na cidade de Kitchener no Canadá com aproximadamente 700.000 pessoas. No quarto lugar está a Oktoberfest mais conhecida do Brasil, realizada em Blumenau com 600.000 visitantes. Além destes países tem outras festas de cerveja nos Estados Unidos, Austrália, Rússia e no Japão.

Segundo as regras da festa só podem ser vendidas cervejas de cervejarias tradicionais, eficientes e comprovadas de Munique como Augustiner, Paulaner, Hofbräu e Löwenbräu. Além disso, a fabricação somente ocorre conforme a ‘Lei de Munique da Pureza’ de 1487 e a ‘Lei Alemã da Pureza’ de 1906.

2ª SONNENTALFEST

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado quinta-feira, 18 de setembro de 2014 0 comentários

Prezados Folcloristas:
é com imensa alegria que os convidamos para a nossa 2ª SONNENTALFEST e IX ENCONTRO DE GRUPOS DE DANÇAS ALEMÃS, á realizar-se no dia 28 de setembro do corrente ano no Ginásio Comunitário Unidos na localidade de Fontoura Gonçalves, município de Vale do Sol - RS. Devido ao sucesso da 1ª Sonnentalfest o grupo irá novamente fazer o encontro de grupos no domingo, com almoço ao meio dia, após a apresentação dos grupos de danças e em seguida uma grande festa animada pela banda Alto Astral e Dj Marcinho.

Programação da festa:
10:30 horas – Recepção dos Grupos de Danças.
11:30 horas – Almoço ( será servido buffet e o valor da ficha de almoço será de R$18,00).
14:00 horas – Início das apresentações.
15:00 horas – Início da festa com animação da Banda Alto Astral e Dj Marcinho.

Confirmações:

Gostaríamos de pedir que os grupos confirmem presença até o dia 20 de setembro para termos uma melhor organização da festa. Pedimos também para que nos repassem o nome da dança a ser apresentada e quantos integrantes virão. Os grupos que possuírem mais de uma categoria, favor nos informe quais categorias virão e a dança a ser apresentada por cada uma.

O contato para a confirmação de presença pode ser feito através de nosso e-mail gruposonnental@hotmail.com ou pelos fones 51 98629879 (vivo) ou 51 3750-1275 falar com Sandra.

Desde já agradecemos e contamos com a presença de vocês para juntos fazermos uma grande festa.

4º Encontro de Grupos Folclóricos Alemãs

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado segunda-feira, 15 de setembro de 2014 Marcadores: , , 0 comentários

Estimados amigos folcloristas,

é com imensa alegria que o Grupo de Danças Folclóricas Tanzgruppe Blumenstadt de São Martinho tem o prazer de convidar o vosso grupo a participar do 4º Encontro de Grupos Folclóricos Alemãs e 7º Baile do Chopp que será realizado no dia 22 de novembro de 2014, nas dependências do Salão Paroquial de São Martinho.

Programação do evento:
19:30h – Recepção dos grupos junto ao trevo de acesso à cidade
20:00h – Jantar junto ao Clube Recreativo e Esportivo de São Martinho
21:30h – Início das apresentações
23:30h – Início do Baile do Chopp com animação da Orquestra Continental/SC.

Organização do evento:
- Cada grupo poderá apresentar duas danças de sua preferência, desde que estas sejam danças folclóricas alemãs.
- A ordem das apresentações seguirá a ordem de confirmação, ao tempo que a janta seguirá a ordem de chegada.
- Traje: não será permitido o uso de boné, chapéu (com exceção dos grupos folclóricos), bermuda, calção, chinelo, short e saia e vestido curtos nas dependências do salão.

- Valor para integrantes de Grupos Folclóricos:
- R$ 25,00 (jantar e baile)
- R$ 15,00 (somente baile)

Confirme a sua inscrição até o dia 16 de novembro de 2014, com:
Sandra – (55) 9904-9126 – sandra_alineh@hotmail.com
Cristiano – (55) 9670-4611 - clottermann18@hotmail.com

As reservas de Barris de Chopp (Nova Schin) deverão ser feitas antecipadamente, junto à inscrição. 
Ficaremos honrados com a vossa presença e nos comprometemos em retribuir as visitas.

Atenciosamente,
Tanzgruppe Blumenstadt

Pomerano

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado quarta-feira, 10 de setembro de 2014 Marcadores: , 0 comentários

Original da região da Pomerânia e hoje pouco conhecido na Alemanha, o pomerano, ou pomerisch, ainda está vivo no Brasil. O idioma é utilizado no dia a dia de muitas comunidades, em especial no Espírito Santo. Iniciativas de valorização ajudam a preservar a língua no estado, que abriga cerca de 120 mil dos estimados 300 mil descendentes de pomeranos no país. Graças ao Programa de Educação Escolar Pomerana (Proepo), ir à escola já não é motivo de receio para diversas crianças que têm o pomerano como língua materna no município capixaba de Santa Maria de Jetibá. O idioma faz parte do dia a dia da cidade, onde 70% dos 34 mil habitantes são de origem pomerana. Em 48 escolas do município, cerca de 3,5 mil alunos de até 15 anos participam do programa. Para os alunos da Educação Infantil e das séries iniciais, até o quinto ano, as aulas são ministradas tanto em português quanto em pomerano. Já nas séries finais do Ensino Fundamental, do sexto ao nono ano, os alunos têm uma aula semanal do idioma.

Além de Santa Maria de Jetibá, os municípios capixabas de Domingos Martins, Pancas, Vila Pavão, Laranja da Terra, Itarana e Afonso Cláudio já aderiram ao Proepo. Segundo a coordenadora do programa, Guerlinda Westphal, já se estuda ampliá-lo para toda a rede estadual. Para Westphal – que é professora, descendente de pomeranos e aprendeu português somente na escola, aos 7 anos –, a consolidação e ampliação do Proepo é uma conquista. "É muito gratificante. Nossa cultura está sendo preservada, valorizada. A língua é um tesouro que nós temos", diz. Nas escolas de Santa Maria de Jetibá que passaram a ter aulas de pomerano, a melhora no desempenho dos alunos foi expressiva. Em 2008, ano de implementação do Proepo, o índice de aprovação no segundo ano (primeira série) das escolas que adotaram o pomerano foi superior a 80%, enquanto nas demais unidades de ensino foram registrados índices iguais ou inferiores a 50%. O impacto maior ocorre nos anos iniciais de escolarização da criança. De acordo com Westphal, antes, as crianças chegavam à escola envergonhadas e desmotivadas, em especial os alunos da zona rural, onde quase não existe contato com o português. O programa conta, hoje, com 15 professores itinerantes e seis regentes de classe. Todos eles já eram falantes quando participaram do curso de capacitação ministrado pelo mestre e doutor em etnolinguística Ismael Tressmann. Durante a formação, foram abordados aspectos históricos, culturais e linguísticos do povo pomerano, além das regras gramaticais. 

Idealizador do projeto, Tressmann afirma que muito ainda precisa ser feito. "Uma hora de pomerano por semana na escola é pouco", afirma. Para ele, o ensino formal da língua é importante por dois motivos: por garantir seu registro e manutenção e por respeitar os direitos de todo ser humano de ser alfabetizado em sua língua materna. Além do ensino regular nas escolas, o pomerano é valorizado também por meio de publicações. Tressman lançou o dicionário enciclopédico pomerano-português, ou Pomerisch-Portugugijsisch Wöirbau. A obra, publicada em 2006, é resultado das pesquisas que ele começou em 1995 e contém 16 mil verbetes. O professor publicou também o primeiro livro escrito em pomerano e editado no Brasil. Upm Land - Up pomerisch språk reúne textos de autores de origem pomerana sobre a vida no campo, com destaque para temas como agricultura, culinária, fauna e flora. Antes de pesquisar sobre o pomerano, Tresmann trabalhou oito anos no levantamento de duas línguas indígenas sem grafia, onde adquiriu a experiência para fazer o mesmo com a língua pomerana. O doutor em etnolinguística explica que a proposta da escrita foi baseada na fonologia da língua, entre outros fatores. Tressman sustenta que, ao contrário do que muitos pensam, o pomerano não é um dialeto do alemão. "São duas línguas que nasceram de modo diferente. A ancestralidade da língua pomerana tem a ver com o holandês, com o vestfaliano e até com o saxão antigo", argumenta. Todas essas línguas descendem do baixo-saxão, ou plattdeutsch, afirma o etnolinguísta.

O pomerano foi a primeira língua de imigração do Brasil a ser co-oficializada, juntamente com o português. Hoje, seis cidades têm o pomerano como língua oficial. São elas: Santa Maria de Jetibá, Domingos Martins, Pancas, Vila Pavão e Laranja da Terra, no Espírito Santo, e Canguçu, no Rio Grande do Sul. Como parte do processo de oficialização da língua pomerana, foi realizado em Santa Maria de Jetibá um censo linguístico. Mais de 24 mil pessoas responderam ao questionário nas duas etapas do censo, em 2009 e em 2012. "Somos os primeiros a levantar dados concretos do número de falantes da língua pomerana no Brasil", afirma a pedagoga Síntia Bausen, que acompanhou o processo. A previsão é de que os resultados do censo sejam publicados até o final deste ano. 

No norte da Alemanha também há iniciativas para valorizar o pomerano e alguns dialetos do alemão. É o caso do projeto Pommersches Wörterbuch, na cidade de Greifswald, no estado de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, que coleta e documenta palavras para montar um dicionário. De acordo com Matthias Vollmer, chefe do projeto, a presença do plattdeutsch nas escolas e universidades tem aumentado há alguns anos, o que também está relacionado com a Carta Europeia das Línguas Regionais ou Minoritárias, ratificada por Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental. "Na Universidade de Greifswald, os estudantes de alemão podem ganhar um certificado em plattdeutsch como matéria complementar e futuramente lecionar nas escolas, como disciplina opcional", explica Vollmer. Ele também é professor de plattdeutsch e oferece seminários sobre a história e a literatura de dialetos no norte da Alemanha. O professor destaca que foram lançados diversos materiais educativos para o aprendizado do plattdeutsch. Também está em andamento um projeto que promove o uso lúdico do pomerano e de dialetos do alemão em jardins de infância em Greifswald.

Em julho passado, foram comemorados os 155 anos da imigração pomerana no estado capixaba. A língua pomerana é falada também em comunidades de Minas Gerais, Rondônia, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Há relatos de que o idioma é falado também nos Estados Unidos e na Austrália. Na Alemanha, ele é hoje praticamente desconhecido. Segundo Vollmer, o pomerano é usado em algumas zonas rurais do norte do país no estado de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental – principalmente pelos idosos, na família ou entre amigos. O pomerano era uma língua oficial e escrita até o ano de 1600, de acordo com Tressmann. A língua era bastante utilizada no comércio marítimo na Idade Média. A palavra Pomerânia designa, até hoje, uma região no nordeste da Alemanha e noroeste da Polônia. De acordo com uma pesquisa publicada em 2007, o plattdeutsch, que deu origem ao pomerano, é falado hoje, com fluência, por 2,6 milhões de pessoas no norte da Alemanha, onde outras 8 milhões o compreendem muito bem ou bem. Em Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, cerca de 400 mil pessoas falam bem o plattdeutsch.

(Fonte: DW)

Estudantes na Alemanha

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado domingo, 7 de setembro de 2014 Marcadores: , , 0 comentários

Segundo o relatório oficial “Science World Open 2014”, um em cada dez universitários na Alemanha vem de outro país

Um número recorde de estudantes está matriculado em universidades na Alemanha, de acordo com um relatório lançado no início deste mês. Mesmo após a graduação, um em cada dois alunos estrangeiros permanece no país – claramente muito mais do que o previsto. Esses dados foram divulgados no relatório “Science World Open 2014”, promovido pelo Ministério Alemão de Educação e Pesquisa (BMBF), Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD) e Centro Alemão de Educação Superior e Pesquisa Científica (DZHW).

“A Alemanha nunca foi tão popular entre os estudantes de outros países. As universidades do país se tornaram points internacionais”, afirma Johanna Wanka, ministra da Educação. “Passar um tempo fora para atividades de pesquisa ou estudo e trabalhar junto com outros alunos estrangeiros e professores, tornou-se uma experiência relevante para os dias de hoje. Atualmente, a ciência exige o intercâmbio internacional e universidades abertas, com professores que mantém uma atmosfera aconchegante tanto para a equipe administrativa quanto para o corpo discente são pré-requisitos.”

A Alemanha, depois dos Estados Unidos e Reino Unido, é o país mais popular entre os alunos de diferentes nacionalidades. O total de estudantes de outros países no primeiro semestre de 2013/14 foi cerca de 300 mil, o que significa que um em cada dez alunos em universidades alemãs é de fora do país.

Segundo o relatório, também há um grande fluxo de pessoas em programas de mestrado. A quantidade de estrangeiros em universidades afiliadas/parceiras é cerca de 10% - em torno de 35.300 estudantes de Ciência e Artes de outras cidadanias frequentavam a universidade na Alemanha em 2012.

(Fonte: Embaixada Alemã)

Coral Immer Frelich

Postado por ACG - Associação Cultural Gramado quarta-feira, 3 de setembro de 2014 Marcadores: , 0 comentários

Através de uma iniciativa do Governo Municipal de Três Palmeiras, RS, foi criado no município o Coral Alemão que se apresentará pela primeira vez no dia 06 de setembro, nas atividades de comemoração a Independência do Brasil. Coordenado pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura o grupo tem o objetivo de resgatar a cultura alemã e trazer integração e alegria aos integrantes.

O grupo que já conta com um nome, “Coral Alemão Immer Frelich (Sempre Alegres)” está a aproximadamente dois meses realizando ensaios semanais contando com a participação de 21 integrantes, moradores do Distrito de Vila Progresso e arredores.

Estão definidas as músicas que serão apresentadas, “Oh Isabella” e “In ein stöthen (Em uma cidade) foram as canções escolhidas pelo grupo. Para o integrante do coral, Sr. João Grams está sendo muito bom resgatar a cultura alemã. “É muito interessante pra nós resgatar a cultura e a tradição do nosso povo alemão” relata.

Além do coral alemão o governo municipal tem desenvolvido demais atividades culturais ligadas a musicalidade. É realidade no município, além do coral alemão, a Banda Marcial Municipal e o Coral Municipal Italiano, incentivando assim a cultura na vida da população trespalmeirense.